IMÓVEIS EM ILHÉUS

IMÓVEIS EM ILHÉUS

JORNAL DO MEIO DIA DA GABRIELA FM

JORNAL DO MEIO DIA DA GABRIELA FM
102,9

REI DAS ESQUADRIAS

REI DAS ESQUADRIAS
AV. ITABUNA. ILHÉUS BA

RESTAURANTE MESTRE CUCA

RESTAURANTE MESTRE CUCA
AGORA COM RODIZIO

terça-feira, 11 de julho de 2017

Médica e hospital de Macarani são acusados de negligência por morte de bebê

Médica explicou em nota o que aconteceu com ele. A mãe disse que pretende acionar a profissional e o hospital na Justiça. Morte do pequeno Warnick gerou comoção nas redes sociais.


Um fato ocorrido em Macarani na semana passada (3) e que terminou com a morte de uma criança menor de cinco meses, depois de publicada a versão da mãe da criança viralizou nas redes sociais está dando o que falar e promete outros desdobramentos, inclusive na Justiça. Tudo começou segundo Dona Taís Silva Ribeiro, na tarde da última segunda-feira (03), quando o pequenino, Warnick Mantiny Ribeiro Silva, de apenas três meses e com histórico de portador de Micro encefalia (doença associada ao Zica Virus), começou a passar mal com problemas respiratórios. Imediatamente o pai do garoto, o Sr. Gilberto Manuel da Silva Júnior, levou o bebê até o Hospital e Maternidade São Pedro para tomar nebulização.
“Chegando ao hospital meu filho nem foi atendido pela médica de plantão, foi atendido pelas enfermeiras que iniciaram os procedimentos, e quando a médica Dra. Gisele chegou, ela apenas olhou a criança, disse que não poderia fazer nada além do que já tinha sido feito.

Nem mesmo um aparelho utilizou para examinar a criança, encerrou a nebulização e mandou que a gente levasse ele de volta para casa.” Conta Dona Taís Ribeiro, que informou ainda que quando chegou ao hospital o esposo já estava retornando com o Bebê.

Chegando em casa os pais notaram que o Bebê não apresentava nenhuma reação positiva e a situação só piorava. “Novamente decidimos levar nosso Bebê ao hospital, e da segunda vez chamamos o SAMU que demorou duas horas para chegar, e quando chegamos ao hospital já não havia mais nada a fazer porque nosso filhinho estava morto. Pedimos a Dra. Gisele, que desse o atestado de óbito, mas ela se recusou e ainda nos tratou com muita falta de educação e agressividade, quase me bateu! Orientados pelo Conselho Tutelar nós procuramos o Fórum onde no cartório de registro conseguimos a guia de sepultamento.” O corpo de Wanick foi sepultado no dia seguinte, no cemitério da cidade. or considerar que a atitude da médica não foi adequada e que houve negligência no a atendimento ao seu filho, dona Taís Ribeiro informou que pretende entrar na Justiça contra a médica e a instituição Hospital São Pedro.

Através de advogados, médica envia nota de esclarecimento
Sobre um fato ocorrido no último dia 03 de julho, em que a senhora Taís Ribeiro, acusa a médica, Dra. Gisele Ferreira, de ter sido negligente e supostamente responsável pela morte do seu filho de três meses, Warnick Mantiny Ribeiro Silva, portador de hidroacefalia, até o momento não recebemos nenhum comunicado ou nota de esclarecimentos conforme o prometido pela Direção dos Hospital São Pedro, que foi procurada antes da mesmo da publicação exclusiva do site REVISTA GERAL BAHIA, das declarações da Dona Taís Ribeiro.

Mas, nesta segunda-feira (10), o advogado Dr. Leonardo Theodoro Carvalho, entrou em contato com a nossa produção pedindo espaço para publicar uma nota de esclarecimento em nome da sua cliente, Dra. Gisele Ferreira, no que imediatamente atendemos a solicitação e aguardamos a nota que nos foi enviada as 16h42m da tarde desta segunda-feira. Leia no link acima a nota de esclarecimento enviada pelo Dr. Leonardo Theodoro Carvalho, em nome da Dra. Gisele Ferreira Martins Santos. // Revista Geral Bahia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário